Brasil-Luxemburgo: novos horizontes

Brasil-Luxemburgo: novos horizontes

Com a recente instalação da Embaixada do Grão-Ducado do Luxemburgo em Brasília em março deste ano, uma outra posse foi realizada em 4 de outubro: o novo Cônsul Honorário do Luxemburgo para Minas Gerais e Espírito Santo, Sr. Paulo Henrique Vasconcelos, proprietário da PHV Construtora.  São importantes eventos que vêm marcando as relações diplomáticas entre os dois países, merecendo, inclusive, um selo comemorativo dos Correios do Brasil, que elegantemente ilustra alguns dos monumentos mais expressivos dos dois países. Estão representados no selo, fazendo alusão aos estados brasileiros que abrigam a representação diplomática luxemburguesa, a Catedral de Brasília, obra de Oscar Niemeyer, a Estufa do Jardim Botânico de Curitiba, uma igreja barroca típica mineira, o Pão de Açúcar, a estátua do emblemático gaúcho de Porto Alegre e a Basílica de Aparecida em São Paulo. Como um reflexo lacustre, em imagem invertida, encontram-se, na parte de baixo do selo, a Filarmônica do Luxemburgo, a Basílica de Echternach, o Museu Dräi Eechelen, a Ponte Nova e a Mulher Dourada da capital, Luxemburgo.

Maktraduzir - Brasil-Luxemburgo Novos horizontes 02Mas não é de hoje que o Luxemburgo e o Brasil mantêm importantes relações diplomáticas e comerciais – embora antes não houvesse uma embaixada radicada em Brasília – lembrando que o conglomerado da Belgo Mineira atuou no setor siderúrgico e na exploração de minério de ferro, principalmente nas cidades mineiras de João Monlevade, Sabará, Mariana e Contagem.

Para entender essas relações comerciais entre o Brasil e o Luxemburgo, é preciso remontar à história da siderurgia do Luxemburgo. Com a descoberta do minério de ferro no país em 1850 e com a introdução da metalurgia em 1876, deu-se o desenvolvimento de uma importante indústria siderúrgica nacional, o que proveu o Luxemburgo com um crescimento econômico sustentável durante a segunda metade do século XIX.

Portanto, o know-how veio de longe. A matriz da Belgo Mineira, a ARBED – Aciéries Réunies de Burbach-Eich-Dudelange, sediada no Luxemburgo, fora criada em 1911, e em menos de um século, em 2002, ela foi incorporada com outras duas siderúrgicas europeias para criar a ARCELOR no Brasil. Em quatro anos, no entanto, a ARCELOR passou por mais uma transformação societária, e foi criada a ArcelorMittal.

Passada a fase mais importante dessa interação industrial entre o Brasil e o Luxemburgo, podemos vislumbrar novos horizontes para os dois, gigantescos em suas potencialidades econômicas – cada qual à sua maneira: topograficamente, o pequeno Luxemburgo e o grande Brasil, estão novamente reunindo suas forças. Vamos aguardar os acontecimentos.

 

Por |2018-11-28T19:00:32+00:0028 nov 2018|Tags: , , |